FOLCLORE MUSICAL EM FAMÍLIA: PRÁTICAS E CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES E SEUS FAMILIARES

Autores

  • Cristina Rolim Wolffenbüttel Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Graziela da Rosa Silva Felicio Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Estêvão Grezeli Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Fabiane Araújo Chaves Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Alex Parnoff Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.19179/2319-0868/756

Palavras-chave:

Educação, Folclore, Educação Musical, Música na Infância.

Resumo

A prática dos cantos, particularmente das cantigas de ninar, tem sido investigada ao longo dos anos. Considerando-se a importância inerente ao canto e a relação que se estabelece na família, este artigo apresenta os resultados da pesquisa que teve por objetivo verificar a importância do estímulo familiar da música folclórica na infância, através da prática dos acalantos, e as diversas interações estabelecidas em suas memórias afetivas, tanto nas crianças que ouviam quanto nos adultos que as cantavam. A metodologia teve como desenho a abordagem qualitativa e a aplicação de formulários com alunos de 11 a 16 anos de idade, em uma escola de ensino fundamental de Capão da Canoa/RS, estendido aos seus responsáveis, como técnica para a coleta dos dados. O referencial teórico é fundamentado nos conceitos de folclore, apresentado como cultura advinda das pessoas e passada de geração em geração. Como resultados desta investigação observou-se que, mesmo vivenciadas, tanto os familiares quanto os estudantes, as práticas de entoar cantigas de ninar sofrem dificuldades quanto ao reconhecimento de sua prática, numa perspectiva cultural e inserida nas vivências das pessoas. Dentre as perspectivas citadas foi possível destacar a forma percebida pelos entrevistados sobre o tema levantado e realizar apontamentos para uma reflexão ainda maior sobre o papel da escola dentro de sua comunidade como ponto de referência cultural.

Biografia do Autor

Cristina Rolim Wolffenbüttel, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Doutora e Mestre em Educação Musical pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Especialista em Informática na Educação Ênfase em Instrumentação, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Licenciada em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordena o curso de Especialização em Educação Musical na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Unidade de Montenegro. É coordenadora da Área Música do Programa de Iniciação à Docência, em Montenegro, da CAPES/UERGS. Coordena a Comissão de Pesquisa e Pós-Graduação da Uergs-Montenegro, orientando bolsistas de iniciação científica em música e artes, da FAPERGS, CNPq e UERGS. É coordenadora dos grupos de pesquisa registrados no CNPq Arte: criação, interdisciplinaridade e educação e Educação Musical: diferentes tempos e espaços. Coordena o Programa de Extensão Universitária, do Ministério da Educação, pela Uergs, na temática da ampliação da leitura através das Artes, desenvolvendo ações de leitura com estudantes bolsistas, beneficiando as redes públicas municipais e estaduais de Porto Alegre e Montenegro. Na Prefeitura de Porto Alegre, a partir da atuação na Secretaria Municipal de Educação, é assessora pedagógica e coordena os programas Centros de Dança e Brinca, propondo e desenvolvendo políticas públicas para a inserção das artes nas escolas da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre. Criou, em conjunto com colegas professores da rede municipal de Porto Alegre, o Programa Centros Musicais, uma proposta de política pública para o ensino de música na escola, em vigor na Secretaria Municipal de Educação do município, o qual coordena desde sua criação. É Diretora Científica da Coleção Educação Musical, da Editora Prismas, de Curitiba. Faz parte da Comissão Gaúcha de Folclore e da Fundação Santos Herrmann. Recebeu o Prêmio Jovem Pesquisador, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1988, com a pesquisa Acalantos, orientada pela Profª Drª Rose Marie Reis Garcia, com o objetivo de resgatar as cantigas de ninar. Em 2010 recebeu, do Comitê de Entidades no Combate à Fome e pela Vida (COEP), o Prêmio Betinho Atitude Cidadã, um reconhecimento às ações em música desenvolvidas junto às escolas de Porto Alegre, potencializando o projeto do COEP de luta contra a fome e pela promoção da cidadania. Recebeu a Medalha Dante de Laytano, em 2011, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados para a preservação, promoção, pesquisa e defesa do folclore e das manifestações culturais tradicionais populares do Rio Grande do Sul. Em 2013 recebeu o Troféu Mulher Gaúcha, da Secretaria de Políticas para as Mulheres/SPM-RS, pelo conjunto da obra na área da pesquisa em folclore e educação musical. É integrante da Academia Montenegrina de Letras, ocupando a Cadeira nº5. Faz parte da Associação Montenegrina de Escritores. Dentre sua produção científica destacam-se publicações individuais e com parcerias. É autora dos livros A Inserção da Música em Projetos Político Pedagógicos da Educação Básica, A Música na Região de Montenegro, Cantigas de Ninar, Terço Cantado: a religiosidade popular na Região de Montenegro, Resgatando os Contos e as Lendas da Nossa Terra, além de artigos sobre Música, Educação Musical e Cultura Popular em revistas e periódicos especializados. Em parcerias, escreveu o livro Música para professores: experiências de formação continuada, juntamente com Jusamara Souza e Liane Hentschke; O Ensino das Artes, com Maria Aparecida Aliano Marques; Para Compreender e Aplicar Folclore na Escola, com Rose Marie Reis Garcia. No campo artístico atuou em Porto Alegre como violinista na Orquestra do Centro Cultural 25 de Julho e como regente do Coral do Colégio Sévigné. Em Montenegro foi regente do Grupo de Canto Gregoriano Vox Noctis e do Coral da Fundarte. Na cidade de Gravataí foi regente dos coros infantil e adulto.

Referências

BOTELHO, Delane; ZOUAIN, Deborah Moraes. Pesquisa quantitativa em administração. São Paulo: Atlas, 2006.

CANDIDO, Antonio. “O direito à literatura”. In: Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades; Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 4ª ed., 2004.

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do folclore brasileiro. Belo Horizonte: Itatiaia, 5ª ed., 1984.

CASCUDO, Luís da Câmara. Geografia dos mitos brasileiros. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, São Paulo: Universidade de São Paulo, 1983.

FERNANDES, Florestan. Contribuição ao estudo sociológico das cantigas de ninar. Revista Brasiliense. N. 16. São Paulo, mar-abr, 1958.

FILIPAK, Renata; ILARI, Beatriz. Mães e Bebês: vivência e linguagem musical. Revista Música Hodie, v. 5, n. 1, 2005.

GARCIA, Rose Maria Reis. A compreensão do folclore. In: GARCIA, R. M R. (Org.). Para compreender e aplicar folclore na escola. Porto Alegre: Comissão Gaúcha de Folclore: Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, 2000. p. 16-21.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ILARI, Beatriz Senoi. Bebês também entendem de música: a percepção e a cognição musical no primeiro ano de vida. Revista da ABEM, Porto Alegre, V. 7, 83-90, set. 2002.

LAMAS, Dulce Martins. A música de tradição oral (folclórica) no Brasil. Rio de Janeiro: D. M. Lamas, 1992.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

MELO, Veríssimo de. Acalantos. Folclore Infantil. Rio de Janeiro: Cátedra; Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1981.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Educação, Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, ano XXII, n.37, pp.7-31, março 1999.

PAPALIA, Diane E.; FELDMAN, Ruth Duskin. Desenvolvimento humano. Porto Alegre: AMGH, 12ª ed., 2013.

PINTO, Rogerio da Silva. A música no processo de desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro. 2009.

RANIRO, Juliane; JOLY, Ilza Zenker Leme. Compartilhando um ambiente musical e afetivo com bebês. Música na Educação Básica. Londrina, v.4, n.4, novembro de 2012.

WOLFFENBÜTTEL, Cristina Rolim. Folclore e música folclórica: o que os alunos vivenciam e pensam. Curitiba: Appris, 2019.

WOLFFENBÜTTEL, Cristina Rolim. Cantigas de ninar. Porto Alegre: Magister, 1995.

Downloads

Publicado

31.03.2020

Como Citar

Wolffenbüttel, C. R., Felicio, G. da R. S., Grezeli, E., Chaves, F. A., & Parnoff, A. (2020). FOLCLORE MUSICAL EM FAMÍLIA: PRÁTICAS E CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES E SEUS FAMILIARES. Revista Da FUNDARTE, 40(40), 65–86. https://doi.org/10.19179/2319-0868/756

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.