Narrativas e excesso: relações das imagens ubíquas

Charmeni Vargas Valandro

Resumo


Esta pesquisa propõem ressignificar os arquivos pessoais encontrados na memória de um aparelho celular correspondente ao período de um ano (2017) através da criação de uma videoinstalação. O texto traz questões referentes a imagens, excesso, narrativas e ubiquidade, sob o viés dos autores pesquisados no referencial teórico, que são, entre outros, Vilém Flusser, Diana Domingues, Julio Plaza, Priscila Arantes e Christine Mello. São abordados também o processo de criação da obra e a interseção entre as linguagens midiáticas e a arte digital. A criação da poética, desta forma se mostra mais na elaboração e desenvolvimento da pesquisa-obra, do que no objeto acabado. Pois, como vídeoinstalção que se instaura no espaço expositivo a posteriori, em relação à escrita deste texto, certamente ocorrerão percepções que não poderão estar presentes no espaço de reflexão que dá corpo à este artigo.


Palavras-chave


Fotografia; Excesso; Vídeoinstalação

Texto completo:

Ler Artigo

Referências


ARANTES, Priscila. Artes e mídia no Brasil: perspectivas da estética digital. Revista ARS, São Paulo, v. 3, n. 6, p. 52-65, jan. 2005.

ARANTES, Priscila. Re/escrituras da arte contemporânea: história, arquivo e mídia. Porto Alegre: Sulina, 2015.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. 2003. Editoração, tradução do prefácio e versão para eBook: eBooksBrasil.com/projetoperiferia. Disponível em: Acesso em: 18 abril 2018.

DOMINGUES, Diana (org.). Arte e vida no século XXI: tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo: Editora UNESP, 2003.

DOMINGUES, Diana, SARETTA, Flávia Gisele et al., tradutores. Arte, ciência e tecnologia: passado, presente e desafios. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: Annablume, 2011.

FLUSSER, Vilém. O mundo codificado por uma filosofia do design e da comunicação. Tradução: Raquel Abi-Sâmara. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

FONTCUBERTA, Joan. O beijo de Judas: fotografia e verdade. Tradução: Maria Alzira Brum Lemos, Editorial Gustavo Gili, SL, Barcelona, 2010.

FONTCUBERTA, Joan. Por um manifesto pós-fotográfico. Tradução de Gabriel Pereira 2011. Studium, Campinas, n. 36, 2011. Disponível em: http://www.studium.iar.unicamp.br/36/7/>.Acesso em: 15 jan 2019.

LANCRI. Jean. Colóquio sobre a metodologia em artes plásticas na universidade. In: BRITES, Blanca; TESSLER, Elida (org.) O meio como ponto zero – Metodologia da pesquisa em artes plásticas. Porto Alegre: UFRGS, 2002. P. 17-34.

MELLO, Christine. Extremidades do vídeo. Conexão – Comunicação e Cultura, Caxias do Sul, v.3, n. 6, p. 17-34, 2004.

PLAZA, Julio. As imagens de terceira geração, tecnopoéticas. In: PARENTE, André (org.) Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

RANCIÈRE, Jacques. O destino das imagens. Tradução: Monica Costa Netto. Organização: Tadeu Capistrano. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

REY, Sandra. Por uma abordagem metodológica da pesquisa em artes. In: BRITES, Blanca; TESSLER, Elida (org.) O meio como ponto zero – Metodologia da pesquisa em artes plásticas. Porto Alegre: UFRGS, 2002. P. 124-140.

RUSH, Michael. Novas mídias na arte contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SARZI-RIBEIRO, Regilene Aparecida. Corpo e videoarte no Brasil: desejos da parte e presenças do todo. Bauru, SP: Canal 6, 2016.

VENTURELLI, Suzete. Arte: Espaço_tempo_imagem. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.19179%2F2319-0868.671

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Qualis A2 em Arte

Publicação semestral podendo ter edições temáticas durante o ano.