PROCEDIMENTOS ARTÍSTICO-PEDAGÓGICOS EM DANÇA A PARTIR DA DECOLONIALIDADE E DA AUTOBIOGRAFIA

Autores

  • Neila Cristina Baldi Universidade Federal de Santa Maria Curso de Dança-Licenciatura
  • Júlia Urach Donata de Oliveira Curso de Dança-Licenciatura UFSM
  • Isabela Teixeira Patias Curso de Dança-Licenciatura UFSM

DOI:

https://doi.org/10.19179/2319-0868.636

Palavras-chave:

dança, autobiografia, decolonialidade.

Resumo

O presente texto discute a criação de procedimentos artístico-pedagógicos em Dança, desenvolvidos no Programa de Licenciaturas (Prolicen) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), dentro do Grupo de Pesquisa (Es)(Ins)Critas do/no Corpo (Corpografias). Os mesmos foram produzidos a partir da leitura e discussão de textos sobre decolonialidade e autobiografia. Posteriormente, estes procedimentos foram testados entre os participantes do grupo de pesquisa e após os testes e rediscussões, executados com crianças e adolescentes em espaços formais e não-formais de ensino.

Biografia do Autor

Neila Cristina Baldi, Universidade Federal de Santa Maria Curso de Dança-Licenciatura

Professora do Curso de Dança-Licenciatura da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Doutora em Artes Cênicas. Líder do Grupo de Pesquisa sobre (Es)(Ins)critas do/no Corpo (Corpografias). 

Júlia Urach Donata de Oliveira, Curso de Dança-Licenciatura UFSM

Licencianda em Dança. Foi bolsita do Programa de Licenciatura (Prolicen), da Universidade Federal de Santa Maria, no período de julho e agosto de 2018. Integrante do Grupo de Pesquisa sobre (Es)(Ins)critas do/no Corpo (Corpografias).

Isabela Teixeira Patias, Curso de Dança-Licenciatura UFSM

Licencianda em Dança. Foi bolsita do Programa de Licenciatura (Prolicen), da Universidade Federal de Santa Maria, no período de agosto de 2018 a janeiro de 2019. Integrante do Grupo de Pesquisa sobre (Es)(Ins)critas do/no Corpo (Corpografias).

Referências

BALDI, Neila. (Es)(Ins)critas do corpo dançante: narrativas singulares e plurais. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 02, n. 04, p. 41-56, jan./abr. 2017

______. (Ins)(Es)critas no/do corpo dançante. In: CONGRESSO CONFAEB. Anais..., XXIV, Londrina, 2014.

DOMINICÉ, Pierre. O que a vida lhes ensinou. In: FINGER, Mathias. NÓVOA, Antonio. O método (auto) biográfico e a formação. São Paulo e Natal: Paulus e EDUFRN, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FORTUNA, Tânia Ramos. Ludobiografia: uma invenção metodológica em pesquisa (auto)biográfica em educação. In: PASSEGI, Maria da Conceição. ABRAHÃO, Maria helena Menna Barreto (org). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica: Tomo II. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012, p.165-202

MARQUES, Isabel. Ensino de dança hoje: textos e contextos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

______. Dançando na escola. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MIGNOLO, Walter. VÁSQUEZ, Rolando. Pedagogía y (de)colonialidad. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo II. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2017.

OLIVEIRA, Luis Fernando. CANDAU, Vera Maria. Pedagogia decolonial e educação antiracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista Belo Horizonte, v.26, n.01, p.15-40, abr. 2010

OLIVEIRA, Valeska Fortes. A escrita como dispositivo na formação de professores. In: PERES, Lúcia Maria Vaz; ZANELLA, Andrissa Kemel (org). Escritas de autobiografias educativas: o que dizemos e o que elas nos dizem? Curitiba: CRV, 2011.

PENNA, Camila. Paulo Freire no pensamento decolonial: um olhar pedagógico sobre a teoria póscolonial latinoamericana. Revista de estudos e Pesquisas sobre as Américas. V.8, N.2, p.181-199, 2014.

PERES, Lúcia Maria Vaz. No vai e vem da vida a escrita de si como um processo de (auto) formação. . In: PERES, Lúcia Maria Vaz; ZANELLA, Andrissa Kemel (org). Escritas de autobiografias educativas: o que dizemos e o que elas nos dizem? Curitiba: CRV, 2011.

ROSEVICS, Larissa. Do pós-colonial à decolonialidade. In: CARVALHO, Glauber. ROSEVICS, Larissa (Org). Diálogos Internacionais: reflexões críticas do mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Perse, 2017.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. MENESES, Maria Paula. (orgs). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009

SILVA, Claudilene. SANTIAGO, Eliete. Pensamento negro e educação intercultural no Brasil. Interterritórios - Revista de Educação, Recife, v.2, n.3, p. 78-100, p. 2016.

SILVA, Luciane. SANTOS, Inaicyra Falcão dos. Colonialidade na dança e as formas africanizadas de escrita de si: perspectivas sul–sul através da técnica Germaine Acogny. Conceição | Concept., Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 162–173, jul./dez. 2017.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, plurinacionalidad y decolonialidad: las insurgencias político-epistémicas de refundar el Estado. Tabula Rasa. Bogotá - Colombia, No.9: 131-152, julio-diciembre 2008.

ZANELLA, Andrisa. Onde está a biografia do meu corpo. In: PERES, Lúcia Maria Vaz; ZANELLA, Andrisa Kemel (org). Escritas de autobiografias educativas: o que dizemos e o que elas nos dizem? Curitiba: CRV, 2011.

Downloads

Publicado

30.03.2019

Como Citar

Baldi, N. C., de Oliveira, J. U. D., & Patias, I. T. (2019). PROCEDIMENTOS ARTÍSTICO-PEDAGÓGICOS EM DANÇA A PARTIR DA DECOLONIALIDADE E DA AUTOBIOGRAFIA. Revista Da FUNDARTE, 37(37), p. 127–139. https://doi.org/10.19179/2319-0868.636

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)