BRICOLAGENS COM ARQUIVOS DE FREQUENTAÇÃO EM UMA PESQUISA ENTRE DOCÊNCIA E ARTE

Autores

  • Mayra Corrêa Marques Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cristian Poletti Mossi Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Arquivos de Frequentação, Docência, Arte.

Resumo

Esta comunicação trata-se do recorte de uma dissertação em andamento desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na linha de pesquisa Arte, Línguagem e Currículo, sob orientação do Prof. Dr. Cristian Poletti Mossi, que é co-autor deste trabalho. A dissertação é intitulada “Por um modo de existência vira-lata: bricolagens com arquivos de frequentação em uma pesquisa entre docência e arte”. Os arquivos de frequentação são a trama de materiais que energiza a pesquisa: sensações, restos, rascunhos, memórias, esboços, encontros, imagens, sons, sabores, entre outras coisas que são colocadas em diálogo para ativar outros modos de existência. Nesta comunicação, pretendo expor como a ativação de arquivos tem sido meu artifício para transitar entre docência e arte em uma pesquisa bricoleur, que se constitui por experimentações, sobras e achados.

Biografia do Autor

Mayra Corrêa Marques, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Especialização em andamento em Docência na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EaD) e Licenciada em Artes Visuais pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Foi mediadora, professora auxiliar, monitora da Fundação Municipal de Artes de Montenegro (FUNDARTE) e bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da UERGS. Em 2019 atuou como Educadora do Projeto Iberê nas Escolas, da Fundação Iberê Camargo. Atualmente, é Instrutora de Aprendizagem de Artes do Colégio Marista Rosário e pesquisadora voluntária do Grupo de Pesquisa Flume Educação e Artes Visuais (UERGS-CNPq).

Cristian Poletti Mossi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atuando junto ao Departamento de Ensino e Currículo e ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) na linha de pesquisa Arte, Linguagem e Currículo. Possui Doutorado em Educação (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), na linha de pesquisa Educação e Artes e Mestrado em Artes Visuais (2010) pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGART), na linha de pesquisa Arte e Cultura, ambos pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM/RS) e com financiamento integral da CAPES. Graduação em Desenho e Plástica - Bacharelado e Licenciatura Plena (2004/2007) e Pós-graduação - Especialização em Design para Estamparia (2008) na mesma instituição. Desenvolve estudos e pesquisas nas áreas de Artes Visuais e Educação e atualmente foca suas investigações na interface desses campos com as Filosofias da Diferença, tendo interesse especial pelas inter-relações entre processos de criação/invenção e docência. É membro pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura (GEPAEC) e vice-líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Arte e Docência - ARTEVERSA, ambos vinculados ao CNPq.

Referências

DELEUZE, Gilles. O ato de criação. Folha de São Paulo, v. 27, p. 4, 1999.

______. Conversações (1972-1990). São Paulo: Editora 34, 2013.

______; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.

______; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

______;______. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol.1. São Paulo: Editora 34, 2011.

DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. Porto Alegre: Zouk, 2015.

FISCHER, Débora; LOPONTE, Luciana. Modos de habitar a escola: o que somos capazes de inventar? Revista Educação, v. 45, Santa Maria, 2020.

GALLO, Sílvio. Deleuze & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

GARLET, Francieli R. Entre o visível e o enunciável em educação: O que pode uma docência que cava a si mesma? Tese de Doutorado. Universidade Federal de Santa Maria, 2018.

GODOY, Ana. Podcast O que é preciso para escrever?, s/d. Disponível em:< https://soundcloud.com/anagodoyp/o-que-e-preciso-para-escrever>. Acesso em setembro de 2021.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes antropológicos, v. 18, n. 37, p. 25-44, 2012.

______. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

LAPOUJADE, David. As existências mínimas. São Paulo: n-1 edições, 2017.

MARQUES, Mayra C. Notas de frequentação: cotidiano, burocracia e esgotamento. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Montenegro, 2018.

MOSSI, Cristian P.; OLIVEIRA, Marilda O. “Sábados com Deleuze”: Imagens na escrita e escrever pelo fora entre arte, pesquisa e educação. Revista Teias v. 20, n. 56, Jan./Mar. 2019.

NUNES, Aline. Sobre a pesquisa enquanto bricolagem, reflexões sobre o pesquisador como bricoleur. Revista Digital do LAV Santa Maria, v. 7, n.2, p. 30-41, 2014.

OLDENBURG, Claes. Sou a favor de uma arte... (1961) In: Escritos de artistas: anos 60 e 70. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

PEREC, Georges. Tentativa de esgotamento de um local parisiense. São Paulo: Gustavo Gili, 2016.

QUINTANE, Nathalie. Começo [autobiografia] São Paulo: Cosac & Naify; Rio de Janeiro: Viveiros de Castro Editora, 2004. – (Coleção Ás de colete; v. 7).

Downloads

Publicado

25/11/2021

Como Citar

Marques, M. C., & Mossi, C. P. (2021). BRICOLAGENS COM ARQUIVOS DE FREQUENTAÇÃO EM UMA PESQUISA ENTRE DOCÊNCIA E ARTE. Seminário Nacional De Arte E Educação, 27(27), 954. Recuperado de https://seer.fundarte.rs.gov.br/index.php/Anaissem/article/view/954

Edição

Seção

27º Seminário Nacional de Arte e Educação - PESQUISA EM ANDAMENTO