CAMINHOS PARA UM INVENTÁRIO DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA DE PESSOAS TRANS NEGRAS NA ARTE CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA

Autores

  • Lau Graef Dutra Camargo Uergs
  • Prof.Dr. Igor Simões Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Arte brasileira, racialização, transgeneridade

Resumo

Pretende-se realizar uma apresentação do começo de uma investigação em torno das proposições artísticas de pessoas trans negras brasileiras na contemporaneidade. Visamos por meio de pesquisa em arquivos, trabalhos acadêmicos e realização de entrevistas, a constituição de categorias analíticas possíveis para pensar essas proposições. Mapeando pontos de convergência e de afastamento entre as/es/os artistas a partir de marcadores sociais como gênero, raça e sexualidade, essa pesquisa visa ampliar o acesso a esses trabalhos e alargar a possibilidade de que corporalidades não cisgêneras e não brancas sejam visíveis em abordagens da história da arte brasileira no âmbito acadêmico. Por meio do conceito de interseccionalidade e, posteriormente, apresentando obras de duas das pessoas pesquisadas até então, buscamos apresentar o que compreende-se como uma produção que caracteriza dimensão radical na arte brasileira, buscando apontar para um novo campo de estudos historiográficos.

Biografia do Autor

Lau Graef Dutra Camargo, Uergs

Estudando de artes visuais - licenciartura.

Referências

BATISTA, Valdoni Ribeiro; RAUEN, Margarida Gandara. A desarticulação do androcentrismo e da discriminação interseccional por meio do ensino da arte contemporânea PÓS:Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG. v.7, n.14: nov.2017 Disponível em < https://eba.ufmg.br/revistapos>

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos a gênero. Periódicos UFSC de Estudos Feministas nº 185,1/2002 Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104026X2002000100011/8774> Acesso em 14 de março 2021

FANON, Franz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

MBEMBE, Achille. Crítica da Razão Negra. São Paulo: N-1 edições, 2018.

MOMBAÇA, Jota. Pode o cu mestiço falar? 2015, disponível em https://jotamombaca.com/texts-textos/pode-um-cu-mestico-falar/ Acesso em 10 de março de 2021.

_______. Não vão nos matar agora. 1. Ed. - Rio de Janeiro : Cobogó 2021

PRECIADO, Paul B. Testo Junkie: sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica: 1ªed, n-1 edições: 2018.

ROLNIK, Suely. Esferas da Insurreição: Notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n-1 edições, 2019. 208p.

SCOTT, Joan – Gênero uma categoria útil de análise histórica - Educação & Realidade, v.lS, n.2, jul./dez. 1990, traduzido da versão em francês. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71721/40667. Acesso em 05 jan. 2021.

SIMAKAWA, Viviane. (2015) Por inflexões decoloniais de corpos e identidades de gênero inconformes: uma análise autoetnográfica da cisgeneridade como normatividade. 244p. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) – Programa de Pós Graduação em Cultura e Sociedade da Universidade Federal da Bahia, Salvador.

SIMÕES, Igor Moraes. Onde estão os negros? Apagamentos, racialização e insubmissões na arte brasileira. Revista Porto Arte, 2019. v. 24, n. 42. Disponivel em: https://seer.ufrgs.br/PortoArte/article/view/98263/54850 Acesso em: 21 de março de 2021

_________. Entre a sutura e o abismo: mulheres artistas negras no brasil- uma breve introdução- (No prelo), 2021

Downloads

Publicado

25/11/2021

Como Citar

Graef Dutra Camargo, L., & Simões, I. . (2021). CAMINHOS PARA UM INVENTÁRIO DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA DE PESSOAS TRANS NEGRAS NA ARTE CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA. Seminário Nacional De Arte E Educação, 27(27), 1007. Recuperado de https://seer.fundarte.rs.gov.br/index.php/Anaissem/article/view/1007

Edição

Seção

27º Seminário Nacional de Arte e Educação - PESQUISA EM ANDAMENTO