EDUCAÇÃO E LINGUAGENS: DA MULTIPLICIDADE DOS CONCEITOS

Autores

  • Ana Maria Haddad Baptista

Resumo

Um conceito, de acordo com Deleuze, somente pode ser conceito se estivermos atentos à sua dimensão de multiplicidade.
Em outras palavras: um conceito não pode ser visto de forma isolada. E o mais importante: somente se
concretiza se houver alguém que o perceba e, consequentemente, o materialize. Um conceito não cai do céu! Ele precisa
ser capturado. Como diria Marco Lucchesi: “a estrutura quase se desintegra, tamanho o combate de forças desiguais
que se equilibram, segundo um desejo férreo, capaz de impor domínio às demandas centrífugas”[1].
Esta coletânea, em parceria com a FUNDARTE, reúne professores e pesquisadores das mais diversas áreas de
formação e atuação para pensar, com um certo grau de originalidade, conceitos de linguagens. Todos os textos são
inéditos e foram pensados a partir de inquietudes e insuficiências em relação à importância das linguagens ora para
o pensamento, ora como operadora indispensável para uma apreensão existencial mais plena. Estética. Que consiga
captar as linhas de fuga para que possamos escapar de tempos e espaços que asfixiam nossos sonhos e projetos.


As organizadoras
Ana Maria Haddad Baptista
Júlia Maria Hummes
Márcia Pessoa Dal Bello
Diana Navas

Biografia do Autor

Ana Maria Haddad Baptista

Mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica PUC/SP. Pós-doutoramento em História da Ciência pela Universidade de Lisboa e
PUC/SP por onde se aposentou. Atualmente é professora e pesquisadora da Universidade Nove de Julho nos Programas stricto sensu de
Educação. Possui dezenas de publicações no Brasil e no exterior.

Publicado

31/08/2020

Como Citar

Haddad Baptista, A. M. (2020). EDUCAÇÃO E LINGUAGENS: DA MULTIPLICIDADE DOS CONCEITOS. EDUCAÇÃO E LINGUAGENS: DA MULTIPLICIDADE DOS CONCEITOS, 1(1). Recuperado de https://seer.fundarte.rs.gov.br/index.php/9786588330005/article/view/825